sexta-feira, junho 21, 2024
Home Blog Page 2

Barragens devem se manter em alerta diante das chuvas nos próximos dias

0

Previsão de mais chuva nos próximos dias requer monitoramento reforçado nas estruturas

Fonte: Assessoria de Imprensa

As empresas que possuem barragens de mineração devem continuar em estado de alerta até a próxima sexta-feira (31).

De acordo com as novas previsões do INMET – Instituto Nacional de Meteorologia, ainda haverá de fortes chuvas nos próximos dias nos estados de Minas Gerais, Rio de Janeiro, Espírito Santo e Goiás.

A maior intensidade de precipitação deve ocorrer na região centro norte de Goiás, regiões litorâneas do Espírito Santo, região centro-sul de Minas Gerais e região serrana do Rio de Janeiro.

Os fiscais da Agência Nacional de Mineração (ANM) pedem que as equipes de segurança de barragens se mantenham em alerta com monitoramento diário das condições das estruturas – em especial do estado de conservação – além de manter atenção especial às tomadas d’agua dos vertedouros, para garantir a capacidade vertente de acordo com o projeto.

Em caso de qualquer situação de anormalidade, o Plano de Ação de Emergência para Barragens de Mineração (PAEBM) deverá ser acionado e o SIGBM (Sistema Integrado de Gestão de Segurança de Barragens) tem que ser imediatamente informado.

Alagamentos e Consequências dos Impactos do Desenvolvimento Urbano

0

Os impactos do desenvolvimento urbano trouxeram diversas consequências para o meio ambiente, a frequência de inundações tem aumentado drasticamente. O Brasil tem experimentado os desastres (2020) em cidades como Rio de Janeiro, São Paulo, entre outras. Identifica-se que quanto maior a população aumenta, a urbanização e construções tendem a crescer, por isso as inundações ocorrem devido as regiões de meio rural se tornaram em urbanas, ou seja, aumento de urbanização= aumento de áreas pavimentadas/ áreas construídas.

As inundações surgem devido a problemas com sistemas de drenagens, construção de edificações em áreas de risco, e aumento elevado de chuva em determinado local no período não previsto. Conforme as cidades se urbanizam, ocorrem os seguintes impactos: aumento de vazões máximas que acontece por causa da capacidade de escoamento, onde os canais de condutos não suportam as águas pluviais, o excesso de impermeabilização das superfícies acarretam em inundações porque a função da água de chuva não se completa pelo ciclo normal, ou seja, devido a grandes áreas construídas e pavimentadas, a água pluvial não penetra pelo solo para fazer sua função, portanto a “água” que deveria infiltrar não infiltra, resultando em maior quantidade de água a ser levada a condutos e canais por uma maior velocidade. O lixo também ajuda a entupir os canais de drenagens, que acabam não fazendo a função corretamente, e esse fator acaba aumentando os índices de alagamentos.

Aumento da Temperatura

O concreto e o asfalto são superfícies impermeáveis que acabam absorvendo a energia solar, por meio deste ocorre um aumento significativo da temperatura do ambiente, produzindo ilhas de calor em partes dos centros urbanos.

A emissão de radiação térmica volta para o ambiente devido a essa absorção de aumento na radiação solar, criando assim condições que podem gerar o aumento da precipitação de chuva.

Técnicas Compensatórias para minimizar o Efeito das Enchentes

As técnicas compensatórias foram criadas com objetivo de minimizar as enchentes e alagamentos, aproveitar as águas pluviais e direcionar em canais de drenagem podendo até mesmo favorecer as regiões de maior número de secas, sua criação enquadra-se como um benefício para as grandes cidades, tornando-se de grande importância para o desenvolvimento urbano.

13 Tipos de Técnicas Compensatórias Estruturais (Você não pode deixar de ver a #10)

  1. Telhado verde
  2. Microrreservatórios
  3. Poço de infiltração
  4. Plano de infiltração
  5. Trincheira de infiltração
  6. Vala de detenção
  7. Pavimento reservatório
  8. Pavimento permeável
  9. Áreas úmidas lineares
  10. Bacias de detenção ou retenção
  11. Bacias de infiltração
  12. Bacias de detenção e infiltração
  13. Áreas úmidas artificiais

7 Aspectos Hidrológicos necessários para resultados satisfatórios de prevenção de enchentes

Veja a lista dos aspectos hidrológicos:

  1. Caracterização do sistema de drenagem
  2. Parâmetros do coeficiente de escoamento superficial
  3. Tempo de concentração de chuva (em minutos)
  4. Tempo de retorno de água pluvial (em anos)
  5. Vazão de pico
  6. Volume de armazenamento para desconexão de áreas impermeáveis
  7. Volume de escoamento superficial direto

Para obter um resultado que minimize as enchentes, devemos seguir estas etapas de estudo, pois conhecendo o sistema de drenagem e acompanhando os dados estatísticos, o cálculo das vazões de picos serão definidos por uma média determinada para cada localidade, a partir disso haverá possibilidade de projetar um sistema de utilização em técnicas compensatórias.

Autora: Ariane Bonandin – Engenheira Especialista

Preços do asfalto e problemas na qualidade e fiscalização impactam rodovias

0

Novo estudo da CNT mostra dificuldades e soluções para situação que afeta toda a sociedade e reduz a competitividade do país

O setor de transporte e a sociedade em geral são afetados pelos aumentos sucessivos no preço do asfalto brasileiro, pela necessidade de modernização de suas especificações e, também, pela falta de fiscalização. Esses são alguns dos apontamentos presentes no estudo da CNT “Impactos da Qualidade do Asfalto sobre o Transporte Rodoviário”, divulgado hoje (6/8).

No estudo, a CNT faz uma análise técnica sobre o asfalto, identifica a atuação dos diversos atores que participam desse mercado e avalia, ainda, a evolução dos preços na comparação com o preço do barril do petróleo praticados no mercado internacional.

Entre setembro de 2017 e fevereiro de 2019, o preço do asfalto teve aumento de 108% no Brasil. Enquanto isso, o do barril do petróleo, do qual o produto é derivado, subiu cerca de 33,3%. Para se ter ideia do descolamento de preços existente, na comparação de outubro de 2018 e fevereiro de 2019, o asfalto ficou 27% mais caro, enquanto o barril do petróleo ficou 22% mais barato.

De acordo com o estudo da CNT, esse aumento de preço implica em obras de construção e manutenção de vias mais caras, o que leva à redução da realização desses serviços essenciais, uma vez que o orçamento do governo é restrito. “Há um impacto muito grande no setor transportador e em toda a sociedade. O asfalto é um dos principais produtos utilizados na pavimentação das vias brasileiras. Em um cenário em que há poucos recursos para a construção e manutenção de rodovias, quando o preço sobe muito, o governo consegue fazer menos obras”, diz o presidente da CNT, Vander Costa.

A consequência é a tendência de piora do estado das rodovias brasileiras. Vander Costa lembra que essa situação contribui para aumentar os custos do transporte. Pavimentos ruins levam à necessidade de mais manutenção em veículos e geram maior gasto com combustível. Também deixam as viagens mais longas e mais inseguras. Tudo isso impacta no valor do frete, elevando o preço dos produtos que chegam ao consumidor e comprometem a competitividade do país no mercado internacional.

Qualidade

O estudo da CNT mostra que o Brasil também é penalizado pela necessidade de modernizar as especificações do asfalto. Da forma atual, os intervalos adotados para cada propriedade do asfalto são amplos. A CNT aponta ainda a existência de falhas graves na fiscalização da qualidade desse componente, que, hoje, está a cargo da ANP (Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis). Assim, há um comprometimento da qualidade e da durabilidade das vias.

Para resolver essas questões, a Confederação propõe algumas sugestões de melhorias capazes de promover um mercado de asfalto mais competitivo e, consequentemente, com uma oferta de produtos mais adequados. Entre as propostas, sugere-se que seja dada maior transparência à política de preços adotada pela Petrobras, atualmente responsável por 100% da produção de asfalto no país. Além disso, recomenda-se uma fiscalização mais efetiva por parte do órgão competente e a necessidade de modernização das normas atuais.

O asfalto

O CAP (Cimento Asfáltico de Petróleo) também denominado simplesmente asfalto ou betume, é um produto derivado do petróleo e um importante componente dos pavimentos. Cerca de 99% das rodovias do Brasil o utilizam. O material está presente, principalmente, na camada de revestimento (aquela visível aos usuários), que consiste em uma mistura de asfalto e britas. Suas características afetam diretamente a qualidade e a durabilidade das rodovias e das vias urbanas em que ele é empregado. Por isso, o setor de transporte e a sociedade, no geral, são impactados pelos diversos aspectos relativos a esse produto.

Fonte: Confederação Nacional do Transporte – CNT

7 Aspectos para Analisar Antes do Início da Construção

0

Quais são os Aspectos Legais de Documentação para iniciar uma Construção?

O primeiro procedimento é verificar a documentação, pois todo terreno deve ter um registro no Cartório de Registro de Imóveis.

Para se iniciar uma construção, não se deve esquecer que existem leis que disciplinam as construções.

Existe as leis que disciplinam as construções, por isso ao pensar no projeto considere suas implicações legais, para assim não gerar problemas futuros. 

Quando tirar a Certidão de Ônus Real, você terá as informações fundamentais sobre a localização, metragem e situação legal do Imóvel. A partir destes documentos, você poderá conferir no local a dimensão exata do terreno, a fim de saber se não houve invasões por parte dos vizinhos.

Quais são as Exigências Legais para iniciar uma Construção?

Ter em mãos a Planta do Projeto, assinada por um engenheiro ou arquiteto com a aprovação da prefeitura, onde a mesma emitirá um alvará de construção para a obra. É necessário o IPTU do terreno, para dar entrada nesse alvará, ou seja, ter a escritura de compra e venda do terreno. O próximo registro a ser feito é junto ao INSS.

Todo proprietário de uma construção civil particular é obrigado a efetuar matrícula de obra junto ao INSS, em até 30 dias a contar do início da mesma.

A documentação necessária para esta matrícula é CPF ou RG do proprietário, IPTU, escritura de compra e venda e planta aprovada pela prefeitura.

Portanto, antes de qualquer procedimento, procure a prefeitura da sua cidade para orientação, pois cada município tem leis e normas de construção próprias.

Após a definição do terreno, faça uma consulta ao Cartório de Registo de Imóveis da  sua Região, solicite também a certidão negativa de débitos no INSS e a certidão negativa de tributos imobiliários na prefeitura municipal.

7 Aspectos que devem ser analisados antes do início da Construção

  1. Escolha do terreno onde a benfeitoria se localizará, levando em conta, inclusive, a resistência do solo para aguentar o peso da construção;
  2. Proteção contra enchentes, assoreamentos e mau cheiro;
  3. Posição em relação ao sol e aos ventos dominantes, para garantir iluminação e temperatura adequadas;
  4. Proximidade de fontes de abastecimento de água e de energia elétrica;
  5. Facilidade de acesso;
  6. Nivelamento do local onde a moradia será construída;
  7. Iluminação e temperatura adequadas.

Construir é com a Engenharia Bonandin!

A Engenharia Bonandin trabalha com profissionais qualificados, que desenvolvem projetos e grandes construções. Através de normas, técnicas e especializações, obtemos assim os melhores resultados dentro dos prazos estabelecidos. Consulte-nos!

Fonte de Imagem: Freepik.

A Reutilização de Materiais na Construção Civil

0

Para a construção de um imóvel em um local onde já havia uma habitação é necessário realizar a demolição ou desconstrução. Para onde vão os resíduos que sobram? Geralmente são jogados em caçambas e destinados aos aterros e lixões. Em outras construções esses materiais poderiam ser reaproveitados.

A reutilização de materiais na construção civil visa transformar telhas, tijolos, pisos e demais materiais em produtos que possam ser utilizados em outras construções, com o intuito de reciclar e garantir a sustentabilidade ambiental.

Os materiais são jogados em aterros e lixões e também podem acabar sendo vendidos para outras construções, aplicados em obras públicas e ainda em construção e conservação de estradas. O reaproveitamento acaba ajudando a reduzir o uso de matérias-primas para confecção dos materiais, pois, reduzir o lixo nos aterros e diminuir os resíduos em construções, são fatores que reduzem o impacto ambiental.

A reciclagem ou reutilização de materiais pode ser feita com o auxílio de máquinas trituradoras, que transformam o resíduo em pó. O pó é misturado em aglomerante – (material que tem a função de ligar as substâncias), formando uma argamassa, que é utilizada em diversas construções.

Para se obter o reaproveitamento dos materiais é preciso que a obra seja desmontada e não demolida, encarecendo o custo. Desta forma o método ainda é pouco usado no Brasil. A técnica exige um cuidado especial com as peças, armazenagem correta e saber quais materiais devem e podem ser reaproveitados. Por isso a reciclagem acaba sendo um processo importante que define a reciclagem e a reutilização de certos materiais. Nem todos os materiais são viáveis para o reuso, como por exemplo a telha de amianto, que perde a resistência depois de um tempo e os vidros, pois se estilhaçam com muita facilidade.

A construção sustentável é uma tendência que vem crescendo em todo o mundo, e atualmente muitas empresas vem adotando parâmetros e exigências para preservar o meio ambiente. O primeiro passo deve ser dado pelos governos municipais, na aplicação em suas obras e edificações. Desta forma, o desperdício de materiais será evitado e o ambiente preservado.

 

Como Escolher um Terreno?

0

É muito importante escolher o terreno certo, pois poderemos construir a casa dos nossos sonhos, com total certeza de não haverá problemas futuros.

10 características do terreno que podem influenciar sua escolha e que representam economia na hora de comprar ou de construir.

  1. Topografia (Desnível)

O terreno pode ser plano, em aclive (sobe em direção ao fundo) ou em declive (aquele que desce, ou seja, o nível da rua está mais alto que o fundo).

Quando o terreno tem estas inclinações, um bom projeto pode aproveitar melhor o traçado natural e evitar grandes cortes de terra ou aterros. A movimentação de terra que deixa a obra mais cara, pois é preciso pensar em estruturas de contenção (muro de arrimos) e de drenagem, que são bem caras!

Os terrenos mais ingrimes costumam custar menos que os planos e permitem visuais bem interessantes quando a construção é bem planejada.

  1. Verificação do Solo

De acordo com o solo, haverá a certeza de qual tipo de construção poderá ser feita ali, e também quais serão os parâmetros considerados para a aprovação de uma construção.

Após uma análise de solo, apontará ao responsável quais as especificações referente a fundação, obtendo assim os tipos de fundações especificas que poderão ser escolhidas pelo profissional especializado, focando assim no custo benefício da obra, ou seja qual será a mais simples e mais barata ou se vai ser preciso gastar um pouco mais. Para ter certeza do tipo certo de fundação, é preciso contratar uma sondagem que faz o perfil do terreno para determinar em que camadas estão os solos apropriados para apoiar o alicerce!

Vale a pena contratar um serviço de sondagem de solo quando adquirir o terreno e antes de fazer o projeto.

  1. Posição em Relação ao Sol

Na escolha do terreno, veja onde o sol nasce e onde ele se põe. O melhor é deixar os quartos voltados para o nascer do sol.

  1. Localização e Vizinhos

A localização é importante, pois, todo mundo se preocupa com a facilidade de acesso e com a infraestrutura (transporte, lazer, serviços) próximas ao terreno.

Antes de escolher o terreno e decidir, observe sempre o entorno e visite o terreno em horários diferentes, inclusive à noite e no final de semana.

  1. Recuos Obrigatórios

Cuidado com terrenos muito estreitos porque, em geral, você é obrigado a deixar um recuo lateral, ou seja, você não poderá ocupar toda a largura do terreno. Quem determina isso é a Lei de Uso e Ocupação do Solo de cada município.

A largura da frente do terreno é valorizada e corresponde a 30% do preço do lote. Quanto maior a frente, mais caro. E se for de esquina, mais caro também, pois são mais opções de projeto, de insolação e de ventilação.

  1. Zoneamento e Limitações

O zoneamento divide a cidade em áreas e determina o que pode ser construído em cada uma delas: só residências, prédios, comércio, indústria ou zonas mistas? O zoneamento define também o número de andares que se pode construir.

O corretor de imóveis pode te ajudar a identificar o zoneamento do terreno ou você pode pedir uma ficha de informação na prefeitura. Caso seja um loteamento em condomínio, verifique as condições que o condomínio impõe.

  1. Meio Ambiente – Mata Nativa

Veja se o terreno tem muitas árvores. Se você quiser retirar algumas no local onde vai fazer a casa, verifique na prefeitura se aquele terreno tem restrições. As árvores nativas são protegidas por diversas leis e você precisará pedir uma licença se quiser cortar. Locais de preservação ambiental que não podem ser desmatados e construídos e faixas próximas a rios que devem ser preservadas.

  1. A Infraestrutura da Região

A concessionária de luz, de abastecimento de água e as redes de esgoto e de gás tem que chegarem ao seu terreno. As ruas são pavimentadas, observar se a região é servida por transporte público e se por perto tem hospital, supermercados, padaria, farmácia, escola e outros serviços.

Estar em uma área mais estruturada aumenta o custo do terreno, mas pode te dar melhor qualidade de vida e até fazer você economizar tempo e dinheiro.

  1. Documentação do Terreno

Na escolha do terreno, verifique se não há nenhum problema com a documentação do imóvel. Exija a certidão de propriedade do terreno atualizada (é emitida pelo Cartório de Registro de Imóveis) para saber se a situação está regular.

É importante pedir as certidões de ações dos distribuidores (cartórios) cíveis, de protesto, de execuções fiscais e de ações federais do proprietário e de seu esposo (a). São documentos que indicam se há ações contra o proprietário que envolvam o terreno a ser vendido.

  1. Importância na Hora Da Escolha do Terreno

Após a avaliação, tenha muita clareza de qual é o seu sonho. Pensar no tipo de casa que deseja construir é muito importante para escolher o terreno. O que é importante pra você: muito espaço livre? ou uma casa que ocupe bem o terreno, com muitos cômodos? economizar na compra ou economizar na obra? em que lugar da cidade você quer residir? Esse terreno facilita a construção da casa que você deseja? Esta localizado em um lugar de fácil acesso?

Todas essas informações são úteis para escolher o terreno com segurança.

Fonte de Imagem: ricardo-gomez-angel-unsplash.

Por que ocorre Acidentes Estruturais?

0

Atualmente os acidentes estruturais na construção civil vêm ocorrendo com maior frequência, em muitos casos com vítimas fatais.

No Brasil a situação não é e nem poderia ser diferente, mas, a não ser pelos casos noticiados nos meios de comunicação, poucas pessoas, incluindo aí os profissionais da área, têm conhecimento destas ocorrências.

Os acidentes estruturais podem ter suas origens em qualquer uma das atividades inerentes ao processo genérico chamado de “construção civil”, processo este que pode ser dividido em três etapas: concepção, execução e utilização da obra.

O problema é considerado uma consequência de ações humanas, tais como a falta de capacitação técnica do pessoal envolvido no processo (tanto na etapa de concepção como nas de execução e de manutenção), utilização de materiais de baixa qualidade, de causas naturais ligadas ao envelhecimento dos materiais componentes das estruturas e de ações externas, tais como choques, ataques químicos, ataques físicos relativos ao meio ambiente e ataques biológicos.

Nos dias de hoje alguns fatores contribuem decisivamente para aumentar a possibilidade de ocorrência de acidentes estruturais. Em primeiro lugar podemos notar que ocorre o próprio envelhecimento das estruturas, especialmente aquelas de concreto armado ou protendido, que só agora estão entrando em uma fase que poderíamos denominar de maturidade. Em segundo lugar, e contribuindo decisivamente para a aceleração da deterioração das estruturas, temos a poluição atmosférica causada pelo alto grau de industrialização das cidades.

O crescimento acelerado da construção civil, que provocou a necessidade de inovações, as quais trouxeram, por si mesmas, a aceitação implícita de maiores riscos, embora dentro dos limites que são regulamentados das mais diversas formas.

A Importância do Processo de Manutenção das Vias

0

Uma rodovia com más condições de pavimento aumenta o custo operacional do transporte, reduz o conforto e a segurança dos passageiros e das cargas, além de causar
prejuízos ambientais.

A estrutura do pavimento tem a função de receber os esforços oriundos do tráfego e transmiti-los para as camadas inferiores de forma aliviada, uma vez que essas são geralmente menos resistentes. Assim, as cargas são transmitidas de forma criteriosa a fim de impedir que ocorram no pavimento deformações ou mesmo rupturas incompatíveis com a utilização da rodovia, induzindo a um comportamento mecânico inadequado e a uma degradação prematura.

Os materiais devem apresentar boa resistência, pouca deformação e permeabilidade adequada à função da camada da estrutura do pavimento em que serão empregados. Os materiais são compostos basicamente por agregados, solos e ligantes. Identifica-se que uma das principais variáveis que impactam a qualidade e a capacidade do pavimento em atender adequadamente as suas funções é a forma como é feito seu dimensionamento.

O dimensionamento de um pavimento consiste na determinação das camadas que o compõem a fim de que elas sejam suficientes para resistir, transmitir e distribuir as pressões resultantes do tráfego ao subleito, sem que haja deformações, rupturas ou desgastes superficiais consideráveis. Além disso, a ação de dimensionar um pavimento consiste na definição das espessuras e dos materiais de cada camada. Dessa forma, a estrutura concebida deve ser capaz de suportar o tráfego estabelecido, considerando as condições climáticas locais e oferecendo desempenho satisfatório para suas funções.

Portanto a necessidade e a importância do processo de manutenção das vias
deve ser orientado por avaliações periódicas do pavimento.

As propriedades dos materiais que compõem o pavimento se alteram a partir
do uso do pavimento, piorando gradualmente. Essa piora está associada ao tempo de vida do pavimento, mas também às solicitações de tráfego e às intempéries. Para que o pavimento mantenha um nível de serviço adequado quanto ao rolamento, à segurança e à capacidade de suporte da carga do tráfego, são necessárias intervenções de restauração.

A fiscalização é uma atividade presente em todas as etapas do ciclo de vida do pavimento, desde o seu planejamento, passando por sua execução e finalização, e ao longo de todo o período de operação da rodovia.

Fonte de Imagem: fabien-grouillard-unsplash.